segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Minha casa faz-se um inferno

Novamente...
Por mais um dia sou martirizada por meus pais, por mais um dia ouço gritos e palavras que deveriam me machucar,
Fui projetada para ser a filha perfeita, que segue regras e é o motivo de orgulho da familia, e não para trazer ou inventar problemas segundo eles.
Sou a que mente e a que inventa histórias, sou a fresca, adolescente burra, a que que chamar atenção. Sou a que arrumou sarna pra se coçar, sou o problema.

A convivência em minha casa torna-se cada dia mais insuportável.
Minha dor me consome, ou melhor, consome a minha alma.

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Finalmente a descoberta.

Bom, algo "ruim" precisou acontecer para que eu finalmente descobrisse algo que pode me ajudar muito.
Antes de ontem, após uma crise compulsiva, tentei me matar, sim, eu ingeri um verdadeiro coquetel   de remédios, que infelizmente ou felizmente não tiveram o efeito que eu planejei.
Na manhã seguinte, ainda meio dopada me levantei e fui me olhar no espelho, e foi quando a minha imagem começou a me apavorar, comecei a hiperventilar e meu coração parecia que iria sair pela boca, algo me assustava muito e eu desejava morrer, quando alguns minutos após chorar muito e a me arranhar inteira, o sentimento simplesmente passou, e não senti mais absolutamente nada, isso então me assustou e  no período da tarde procurei o clinico geral da minha empresa que sabe do meu problema, e é um anjo porque se disponibilizou a me ajudar quando eu precisar, e sem registrar caso algum no meu histórico da empresa, ele então me encaminhou pro psiquiatra ali da empresa mesmo, na mesma tarde, fui ao psiquiatra e ele me explicou o que acontece, disse que essas crises compulsivas e o período de pânico pelo qual tenho passado, são por conta de um transtorno de pânico ou ansiedade, ele disse que isso provavelmente se desenvolveu por conta do T.A. que proporciona uma preocupação obsessiva pelo meu corpo, e é justamente o que mais causa a doença, uma preocupação obsessiva com algo, no meu caso, com o meu corpo.
Ele me passou uma medicação que vai me ajudar a controlar essa ansiedade e também os sintomas de depressão. O meu único medo é que isso me faça querer aceitar o meu corpo e então a ana assim me deixe, pois não quero perde-la, quero ter o controle e a sensação de poder toda vez que perco peso, quero ver os meus ossos, e ser feliz com eles.
Acho que agora finalmente poderei ter o controle novamente, poderei controlar essa maldita depressão, essas crises de ansiedade, poderei controlar o meu corpo, e finalmente me livrar da camada espessa de gordura que envolvem meu corpo.
Bom é isso, queria apenas compartilhar isso com vocês,
Beijos da garota que sonha em ser uma Bonecca Perfeita.

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Leitora de Almas

Bom Girls and boys...
Passei meu carnaval com uma garota incrível, com dons espetaculares, e um desses dons é escrever, ela disse ter escrito um texto pensando em mim, e de fato o mesmo me descreve completamente, portanto leiam a baixo sobre uma parte (a maior  parte no momento) de minha descrição.
" Alma faminta, afoga em dor... Ela desaparece lentamente. Parece que o sentido das coisas veio a se desconstruir com o passar do tempo. Através da janela da loucura, digo adeus aos meus ideais. A insanidade fez-se meu cativeiro, onde me mantenho em constante estado de corrupção.
Teu pão é a minha dor, e a minha destruição é o teu circo. Mantive-me sob a proteção de tuas asas de ósseas desgastadas, porque estou fraca demais; perdida de mais para encontrar o fim deste labirinto.
Amar ao que me mata. Creio que seja um talento inato que carrego desde pequena. Minha alma grita em meio minhas meias palavras verdadeiras, que apesar de ditas não se fazem ouvir por ninguém. Por isso consumi o meu silêncio. Hoje ele está a me consumir.
Até os ossos..."
Sim , tenho certeza de que a pessoa que escreveu isso é uma verdadeira leitora de almas, e tive o prazer enorme de conhece-la um pouco melhor durante este carnaval.
Pude libertar-me um pouco com sua presença, pude pela primeira vez em muito tempo me abrir sem ser julgada, fui compreendida e apoiada.
Agradeço por esses dias Mei, espero que eles se repitam, sei que estamos nos afundando, mais isso pode se tornar menos insuportável se estivermos juntas. E volto a repetir, se tiver a oportunidade, liberte-se de toda esse inferno que fizemos de nossas vidas, você com certeza merece ser feliz! 
E agora infelizmente volto ao meu inferno particular...

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Seu principal alimento é a minha dor.

É o preço que devo pagar, é o preço que meu transtorno cobra, e é o que eu o dou em troca.
Eu fiz de novo, estou os alimentando mais uma vez, não sei até quando isso os satisfazerão, mais eu não posso mais parar.
Eu terei a perfeição na última batida de meu coração, mais precisarei pagar caro por isso.
Não posso ter sentimentos, preciso ser vazia e fria para manter meus pequenos monstros vivos.
Me tornei de uma forma inexplicável totalmente dependente do meu transtorno, sim, eu concordo, é como droga, eu sei que me faz mal mais eu preciso de mais.
Eu afastei aos poucos tudo o que me faz bem, isso deu alimento (dor)  o suficiente para meus monstros por um tempo, mais eles pediram por mais. 
Eu quero que saiba que também te amo I* , você me faz bem, me faz muito bem, eu contava os dias para te ver novamente na semana seguinte após cada consulta,você foi como uma mãe para mim,   mais agora é hora de parar, é hora alimentar meus monstros novamente, eles não sobrevivem com sentimentos, e eu precisarei me afastar de você para alimenta-los, eu preciso de dor para mante-los fortes, pois eles precisam estar fortes   para fazer o trabalho sujo de por um fim em tudo, não quero me livrar deles porque sei que eles me darão no fim a chave para a liberdade, e é o que eu mais desejo no momento, desejo por um fim em toda essa maldita dor que se tornou minha "vida".


" O Transtorno Alimentar é um paradoxo.É tudo tão contraditório. É a busca pela beleza que lhe deixa cada vez mais sem beleza. É um desejo de controle que lhe tira todo o controle. É um gesto de força que lhe arranca todas as suas forças. É uma forma de provar que você não precisa de nada, sentimentos, carências humanas, porém passa a se construir uma dependência cada vez maior pelo próprio transtorno. É uma forma de encontrar algum tipo de identidade, porém que a faz se distância ainda mais de si próprio (encontrando apenas a identidade de 'doente')"

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Quero meu controle de volta, e agora.

Eu preciso parar, e parar agora, estou perdendo cada vez mais meu controle, e não posso voltar a ser o que era antes, eu prefiro morrer a isso, eu sei o que está me desequilibrando e eu não posso deixar, por mais dificil que seja eu vou precisar romper essa relação, antes que seja tarde.
Quero que as aulas voltem logo, vai ser mais fácil me manter longe da comida assim, eu não quero 35 kg quero 30 kg agora, mais eu preciso do meu controle de volta e preciso agora.
Não posso perder tudo o que conquistei, e é o que vai acontecer se eu não der um basta.
Eis abaixo o preço por ser uma garota gorda, burra, nojenta, fraca, estúpida.
Morram de nojo de minha perna gorda, 
E agora? Quem é a garota problemática? 
Espero de verdade que os laxantes sequem o meu intestino.
Por favor! Eu preciso do meu controle!!!!!