domingo, 17 de março de 2013

Como Fantoche

Sinto-me sentimentalmente como um fantoche, a fluoxetina são as cordas e que me mantém viva.
Se as cordas forem contadas, novamente caio.
Não estou mais tão a deriva por conta das cordas presas a mim , mais não tenho algo em que eu possa me fixar concretamente,
Vem-me constantemente lembranças de não tão distantes sentimentos, de que a ana tornou-se minha alma, apesar de não senti-la no momento.
A fita vermelha permanece-rá firme em meu braço. Os hábitos, preocupações e medos nunca poderão ser deixados de lado. Uma meta sempre existi-rá.
Minha vida marcada por toda a vida, essa é a única certeza que tenho e por isso a paciência para apenas esperar é o que mais procuro, pois não se há muito mais a fazer.
Tudo foi descoberto, inclusive o blog, e por isso o mantive bloqueado por um tempo.
A ficha de minha mãe finalmente caiu e ela desesperada para tentar salvar a vida de sua boneca cansada, me cercou de médicos, e me arrasta para consultórios e exames o tempo todo. Estou dançando conforme a música, pois nada agravel seria uma internação.
A Bulimia chegou a um estado extremo, e eu apenas estava a apodrecer meu corpo, sem se quer chegar perto de minha meta, portanto decidi que preciso focar no tratamento contra ela, estou portanto tentando a reeducação, vou me alimentar o suficiente para não entrar em crises bulímicas, para sobreviver e emagrecer.
Mudei o URL do blog, mais para não arriscar não postarei tão constantemente, mais sempre estarei visitando-as.
E independente do que venha a acontecer, recuperação, ou não, nunca vou deixar este lugar de lado, pois aqui encontra-se uma considerável fase de minha vida, da qual não me arrependo de nada em um minuto se quer.

Um comentário:

  1. Olá, estou a procura de amizades anas e mia e achei o seu blog e gostei muito se puder passar no meu e seguir adorarei assim trocaremos experiencias

    anamaisfelizz.blogspot.com.br

    bjimmm ah já estou te seguindo

    ResponderExcluir

Motivo para respirar.